Anuncie Barato!


Review: Samsung Galaxy Tab Plus

Atila Matias 21 de Maio de 2012
Review: Samsung Galaxy Tab Plus

Introdução

A Samsung lançou no final do ano passado diversos modelos da série Galaxy Tab, o 7.7, 8.9 e o Plus. Apesar de todos terem particularidades, o sistema operacional adotado é o mesmo ( Android Honeycomb versão 3.2). Nas últimas semanas, estive em mãos com o novo Samsung Galaxy Tab 7 Plus, modelo GT-P6200L. Depois do Asus Eee pad Transformer TF101, este foi meu segundo tablet adquirido. Vamos Falar um pouco sobre este gadget.

Apresentação

Inicialmente, o Samsung Galaxy Tab GT-P1000, ou simplesmente Samsung Galaxy Tab 7, era o único tablet da marca equipado com uma tela de 7 polegadas, sendo, então, a primeira geração dos tablets da marca. Um ano após o lançamento, surgiu uma nova “safra” de tablets, dentre eles o Galaxy tab Plus. Podemos considerá-lo como uma versão aperfeiçoada do GT-P1000, mas não como segunda geração, pois esta surgiu logo depois, entitulada por Samsung Galaxy tab 2, com previsão de lançamento para este mês. O Galaxy Tab Plus concorrerá diretamente com os tablet Acer Iconia Tab A100, a RIM Blackberry Playbook e, principalmente, o Amazon Kindle Fire, além de outros tablets na mesma faixa de preço.

 

Características

É possível encontrá-lo em diversas opções, divididas, basicamente, em: com Wi-Fi e com Wi-Fi e 3G. A versão que adquiri é a GT-P6200L. Este modelo se diferencia das outras versões por possuir suporte a transmissão de dados móveis. Logo abaixo poderemos ver as principais especificações do aparelho e alguns detalhes que eu gostaria de salientar.

MarcaSamsung
ModeloGalaxy tab Plus GT-P6200L
ProcessadorExynos 4210 Dual Core 1.2Ghz
Memória1GB DDR2
Sistema OperacionalAndroid Honeycomb 3.2 + interface TouchWiz
RedeGPRS, EDGE (2G) e 3G integrados
ConectividademicroSD, SIM card,Wi-fi (a/b/g/n), Bluetooth 2.0 +EDR, 3G (HSDPA 850/900/1900//2100 Mhz), 2G (850/900/1800/1900 Mhz) e DLNA. Não possui conexão HDMI.
TelaPLS LCD de 7 polegadas e resolução 1024×600 e 16 milhões de cores. Densidade de pixels aprox. 170ppi
CâmeraFrontal: HD 1.3 Mp. Traseira: 3.2Mp com flash. Ambas possuem Auto Foco e gravação em alta definição (720p) a 30fps.
NavegaçãoGPS, A-GPS, WAP e HTML
ArmazenamentoMemória interna de 16GB + possibilidade de expansão via cartão microSD (até 16GB)
SensoresGiroscópio, acelerômetro, sensor de proximidade
Data de lançamentoNovembro de 2011
Preço estimado *MSRPU$$ 249,00
Dimensões194x122x9.9mm
PesoAprox. 345g
BateriaLi-ion de 4000mAh com autonomia de até 43h de conversação e 1 mês em Stand-by

Fonte: Samsung Electronics

Construção

A construção do dispositivo é inteiramente em plástico. A parte frontal possui uma câmera de alta definição com 1.3Mp com auto foco, para realizar chamadas de vídeo conferência, sensor de presença e uma tela de 7 polegadas, construída em vidro anti risco. A parte traseira é revestida por uma tampa plástica com acabamento escovado, mais uma câmera de 3.2Mp com auto foco e Flash embutido. Já as partes laterais oferecem uma entrada para cartões microSD e outra para telefone móvel, um conector de áudio de 3,5mm junto com um microfone, uma entrada para transmitir de dados com o computador ou carregar a bateria, duas caixas de som ao lado, um microfone e  um botão de energia ao lado do controle de volume.  Ele apresenta bom acabamento e sensação de leveza. Em minha opinião, o tablet recebe como ponto negativo  a ergonomia que, no geral, pareceu ser bastante confortável utilizá-lo durante o dia, mas é preciso segurá-lo com cuidado, pois, apesar de ser um aparelho com dimensões diminutas, é relativamente fácil derrubá-lo se houver algum descuido.

Tela

Foi um ponto forte que observei no dispositivo. O Samsung Galaxy Tab Plus está equipado com uma tela PLS LCD de 7 polegadas, de resolução WSVGA (16:9) feita em vidro com acabamento anti-risco,  embora o consumo de energia é um pouco maior que os painéis IPS LCD. Ela exibe brilho e contraste bastante satisfatório e cores muito boas, além de boa resposta ao toque e riqueza de detalhes acima da média por se tratar de uma tela com resolução tecnicamente abaixo da alta definição, mas mesmo assim não deve nada em relação aos painéis IPS LED, presentes em modelos mais sofisticados, como o Asus Eee Pad Transformer Prime ou o Sony Tablet S. É possível enxergar em ângulos de até 80 graus. Acima disso, o reflexo da tela prejudica a visualização.  É razoavelmente difícil visualizá-la durante o dia, mas à noite o resultado é grande! Vale lembrar que a Samsung fez um bom trabalho na “permeabilidade” da tela, pois com o Asus TF101 eu presenciei sérios problemas quanto às manchas de dedo na tela que acumulavam com muita facilidade e a dificuldade em limpá-las. No caso do Galaxy Tab Plus, dificilmente a tela ficava manchada. Quando era necessário, bastava um simples pano úmido e a tela já estava limpa e nítida.

 Operação

O Android Honeycomb é um belo sistema operacional para os tablets. A Samsung conseguiu melhorar a experiência com a interface TouchWiz, oferecendo uma tela de configuração com tonalidade esbranquiçada e permitindo ao usuário adicionar novos widgets e redimensionar o tamanho deles, além de muitas outras melhorias no sistema, como um dock com várias ferramentas oculto que aparece ao pressionar a barra principal e algumas ferramentas de anotação semelhantes às existentes no Samsung Galaxy Note. O sistema em geral se comporta de maneira estável e suave. Todos os aplicativos funcionam muito bem, exceto o navegador WebKit, que, durante os testes, travou inúmeras vezes, principalmente em páginas desenvolvidas em Flash. Graças ao processador Exynos Dual Core de 1.2Ghz, fabricado pela própria Samsung, nos testes de desempenho ele mostrou grande vantagem em relação aos processadores nVidia Tegra 2. No teste de Benchmark utilizando o aplicativo Quadrant, este tablet atingiu mais de 3100 pontos, superando muitos processadores Dual Core. A atualização para o Android 4 ICS é quase certa, mas ainda não há previsão.

Bateria

Construída em íons de Lítio, fornece até 4000mAh e promete 43 horas de conversação ou 30 dias em modo Stand-by. Com o Wi-fi ligado, acessando a Internet e executando alguns aplicativos ou jogos, a bateria durou 7 horas. A Samsung dispõe um aplicativo chamado Modo de Economia de Energia, que promete aumentar significativamente a autonomia da seguinte maneira: quando a tela está bloqueada, ele desliga todos os dispositivos de rede e a cada 30 minutos eles se auto ativam para atualização de dados. A grande vantagem dele é que ele permite ao usuário manter o tablet ligado mesmo em momentos que não o utiliza sem sacrificar a bateria, bastando apenas deixar a tela bloqueada. A duração está abaixo da média, mas é possível incrementá-la, reduzindo o brilho da tela, desligando dados móveis 3G/2G e Wi-fi, mais o auxílio de alguns aplicativos, disponíveis no Google Play, melhorando, e muito, a autonomia.

 Conclusão

A Samsung realmente conseguiu fazer um bom trabalho oferecendo um tablet por 249 dólares com tantos recursos, bom acabamento, bom desempenho, boa câmera e ótimo custo-benefício. Senti falta de uma conexão HDMI, para exibir a tela em televisões, monitores ou projetores e uma porta USB, para conexão de armazenamento removível. Fora isso, não houve desvantagens que superaram os benefícios. A tela menor que os tablet com 10 polegadas pareceu no início muito pequena, mas logo me acostumei e, na verdade, achei até melhor que meu tablet anterior, pois é prossível transportá-lo em locais que os maiores não cabem, como um bolso de uma calça ou mochila.  Para quem procura por um tablet compacto de qualidade, mas sem gastar muito, o Samsung Galaxy Tab Plus pode ser uma ótima alternativa.



7 Comentários »

  1. Anderson Ramos 22 de Maio de 2012 at 21:58 - Reply

    Já vi pessoas usando cartão microsd de 32 Gbytes com o modelo wifi e funciona muito bem.
    Parabéns pelo site, estou conhecendo agora e gostei do que vi até então :-)

  2. Humberto 4 de Junho de 2012 at 10:36 - Reply

    Excelente resenha, Atila. Gostei muito! Com o Galaxy Tab 7 Plus ocorre um fenômeno curioso no Brasil. É um tablet originariamente precificado a 400 dólares (na Amazon ele é encontrado a 350) o que fez com que ele não tenha chance alguma de concorrer com o Kindle Fire ( tablet de 200 dólares da Amazon). Aliás, o tablet acaba tendo dificuldades inclusive contra modelos de maior display ( como é o caso do Sony Tablet S a 350 dólares ou mesmo o Transformer Pad 300 a 380 dólares). Só que no Brasil o preço dele ficou excelente, ele pode ser encontrado sem muita dificuldade por menos de 900 reais. O mesmo Sony Tablet S que lá fora custa 350 dólares ( o mesmo do Tab Plus) aqui no Brasil custa em torno de 1650 reais, praticamente o dobro!

    O que escancara que no Brasil estamos tão acostumados a pagar preços absurdos por tablets que quando aparece um tablet com preço compatível com sua versão no exterior ele passa essa falsa impressão de ser tablet de baixo custo.

    A título de curiosidade, a Samsung até tem um modelo de 7 polegadas focado no preço baixo, é o Galaxy Tab 2 7" , precificado a 249 dólares. Claro, este é um modelo com desempenho muito inferior ao 7 Plus, mas seria interessante ver o tratamento que ele receberia no Brasil. Se o Tab Plus que custa 350 dólares é encontrado aqui por 850 reais, o Tab 2 de 7 polegadas que custa 249 deveria chegar por menos de 600 reais.

    Abração

  3. Alexandre 11 de Junho de 2012 at 18:14 - Reply

    Alguém tem ideia de quando será lançado o Galaxy Tab 2 no Brasil? Acho mais vantagem esperar para comprar a versão 2 do 10.1 que vem com slot de cartão do que a atual.
    Parabéns pelo site, conheço a algum tempo e com certeza é uma grande fonte de informação.

  4. @NilbertoMelo 1 de Julho de 2012 at 15:09 - Reply

    Sabe dizer se vai rolar atualização do GT-P6200 pro Android ICS? Valeu!

    • Humberto R. 1 de Julho de 2012 at 23:38 - Reply

      Nilberto, a Samsung prometeu ICS pra ele até agosto, mas claro, nada impede que ocorra algum atraso.

  5. Daniel Guedes 4 de Julho de 2012 at 15:40 - Reply

    Comprei a versao wifi e gostei muito da tela. Porem ainda acho q o Android fica devendo em alguns detalhes na navegacao. No browser nativo eh praticamente impossivel preencher alguns tipos de formularios. Recentemente tive que emitir uma passagem num site de uma cia aerea e nao consegui. Ao digitar as informacoes o texto ora nao entra, ora entra na sequencia errada. Considero isto uma grande falha, pois eh justamente quando mais precisamos do tab.
    Outro detalhe eh que a navegacao eh muito mais parecida com a de celular do que com a de pc. Ele eh soh um celular com a tela grande. Nao sei se o mesmo acontece com o produto da apple.

  6. tablet 10 de Julho de 2012 at 12:50 - Reply

    ótima postegem e ja vou me tornar um leitor diario do site valeu.

Deixe uma resposta »